“Nunca antes na história deste País”

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
 

Uma marca característica da ética na Antiguidade é sua extrema associação com a política. Desde Platão e seu discípulo Aristóteles, que a ideia de constituição da polis (cidades-estados gregas) é tida pelo princípio de que a cidade deve ser dirigida por governantes sábios, justos e virtuosos. Afirmavam que o homem é um animal político, essencialmente destinado à vida em comum na polis, lançando assim as bases para o comportamento justo do indivíduo e do cidadão. Para Platão, a ideia de justiça, tanto no indivíduo quanto na sociedade e como sendo a harmonia entre suas partes.
Pela primeira vez, em mais de 1500 anos de história, há continuidade do julgamento de um representante de estado. Estamos vivendo um período muito diferente na nossa história, num país de pouco mais de 500 anos nos acostumamos muitas vezes àquela constante frase, que diz, que a justiça só existe para as pessoas ricas e que quem vai para a cadeia é pobre.
Os presos do sistema penitenciário brasileiro são majoritariamente jovens, negros, pobres e de baixa escolaridade, aponta o Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen), divulgado pelo Ministério da Justiça.
De acordo com o Infopen, 56% dos presos no Brasil são jovens – pessoas de 18 a 29 anos, conforme faixa etária definida pelo Estatuto da Juventude. Nota-se que o encarceramento elevado da população jovem é um fenômeno observado em todo país. Segundo o Infopen, dois em cada três presos no Brasil são negros (67% do total). Da população prisional, 31% são brancos e 1% se declaram amarelos. O levantamento também constatou que é muito baixo o grau de escolaridade da população prisional brasileira: cerca de 53% dos presos possuem ensino fundamental incompleto. A maior parte da população prisional brasileira é solteira (57%).
E como disse muitas vezes o ex-presidente Lula, “Nunca antes na história deste país”, verdadeiramente a corrupção está sendo punida e os políticos brasileiros estão enfrentando uma justiça que busca reparar erros.
Após várias investigações e acusações frente aos nossos governantes de estado, leva-nos a refletir sobre a estruturação e ocupação dos cargos de poder de nosso país. Todos nós, cidadãos, estamos envolvidos nestes acontecimentos, seja de forma direta ou não.
Não existe governo corrupto numa nação ética; e não existe nação corrupta com governo transparente e democrático. Quer dizer, sempre entre governo e nação há um jogo.” Leandro Karnal.

Alexandre Pierroni é Veterinário há 20 anos em São Roque, Vereador e Secretário da Comissão Permanente de Saúde e Educação da Câmara Municipal.