Vereador Julio Mariano comenta: O Morro do Saboó pede Socorro

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
 

Dias atrás o Vereador Julio Mariano escreveu nesta coluna semanal uma matéria que comentava sobre o potencial turístico da Pedreira da São Rafael e uma cidadã lhe chamou atenção para acompanhar o que está acontecendo com o nosso Morro do Saboó. Trata-se de outro grande potencial turístico conhecido por todo o Estado de São Paulo e por muita gente pelo Brasil afora. No entanto, aqui em nosso município tem muita gente que conhece de “vista” e nunca esteve no local.

O Vereador afirma que nesta semana, depois de mais de 20 anos, visitou novamente o local e dialogou com os moradores do entorno. Durante a conversa e a visita o Vereador levantou situações preocupantes.

 Muita gente pensa que o Morro do Saboó é um espaço público, mas não é.  Trata-se de uma propriedade particular pertencente à família da senhora Ondalva Serrano, uma doutora em agronomia com uma visão de mundo sempre atenta as leis naturais e intimamente ligadas ao movimento de defesa da agroecologia e a construção de um coletivo sustentável. E por causa desta postura é que sempre incentivou o turismo e manteve aberto o local para visitações.

O Vereador deixa claro que não tem preconceito nenhum com qualquer religião e respeita todas. Porém, segundo informações, a partir de uns três anos para cá estão realizando no local, vários encontros religiosos com uma quantidade muito grande de fiéis que devido à falta de estrutura e orientação vem trazendo muitos transtornos para o Morro e para a preservação da natureza. Com o objetivo de tentar impedir esta situação, a proprietária colocou um grande portão que foi arrancado pelos usuários e que deixaram o recado que se precisasse retirariam novamente, mesmo a propriedade sendo particular.

Hoje, o número de pessoas que sobem o Morro semanalmente para a realização de eventos religiosos é inimaginável. Os encontros acontecem também durante a madrugada. Os moradores do bairro comentam que está difícil conviver com o som estridente dos louvores nas madrugadas e aos finais de semana. “Até onde é possível se chegar de carro, existe uma placa onde menciona que o lugar é sagrado e abençoado por Deus. E eu acredito, porque o lugar é maravilhoso”, ressalta Julio Mariano.

Pela internet é possível visualizar vídeos de grupos religiosos, com seus pastores e fiéis subindo o morro com sacos e mais sacos de papeis levando seus pedidos a Deus com a promessa de que as preces deixadas em pontos mais altos são atendidas antes, por estarem mais perto de Deus. Mas, depois que termina o evento o que fica no local é uma grande quantidade de lixo, contendo contas, boletos bancários, bilhetes, pedidos, fotografias e propagandas religiosas. Também existem os fiéis que levam pedras do lugar supostamente sagrado para a casa. Sem contar os incêndios que acabam com a mata do Morro.

O vereador conta que em conversa com a proprietária do Morro, ela pede ajuda ao Poder Público e lamenta muito essa situação e diz que sozinha não consegue resolve – lá. “Nesta semana, encaminharei ao Executivo um Ofício fomentando se existe a possibilidade de ajudar de alguma maneira a resolver esta situação. Por outro lado, sugeri a proprietária que busque junto ao setor privado uma parceria para criar mecanismos para explorar o local, inclusive cobrando pela visitação e em contrapartida oferecendo condições de infraestrutura. Precisamos ajudar a manter a visitação de forma ordeira e a preservar a natureza, afinal, se este local for devidamente explorado colocará nosso município em evidência turística por todo o país”, finaliza o Vereador do PSB Julio Mariano.