Oficina de Veículos e Máquinas da Prefeitura e reconstrução da Marginal são temas de reuniões da Comissão de Obras e Serviços Públicos

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
 

Na semana passada, a Comissão Permanente de Obras e Serviços Públicos da Câmara Municipal da Estância Turística de São Roque realizou duas importantes reuniões para tratar de assuntos relacionados à Oficina de Veículos e Máquinas da Prefeitura e também quanto à reconstrução da Avenida Antonino Dias Bastos, mais conhecida como Marginal.

Sob a presidência do Vereador Etelvino Nogueira e com a participação do Secretário Vereador Rafael Tanzi, ambos os encontros aconteceram na Casa de Leis. A primeira reunião foi realizada na quinta-feira, 26 de outubro, e além da participação dos Vereadores da Comissão de Obras, contou com a presença do Diretor do Departamento de Obras, Antonio Augusto Godinho, da Diretora do Departamento de Administração, Sandra Scopel Carlini, do Chefe da Oficina de Veículos, José Francisco Aranha, do Chefe da Central de Veículos, Raul A. da Silveira, do Chefe de Transporte de Saúde, Joseildo J. da Silva e da Chefe de Divisão de Saúde, Daniela Carolina Dias Groke.

Etelvino explica que o principal objetivo foi o de obter informações quanto ao funcionamento da Oficina de Veículos e Máquinas, uma vez que são constantes as reclamações da grande quantidade de veículos e máquinas quebradas, que atrapalham no transporte de alunos e pacientes e também da falta de manutenção das vias públicas. “Estamos acompanhando as demandas do setor, inclusive, por causa da falta de peças e ou contratação de serviços para o conserto de máquinas e veículos. Pelo que foi discutido com os representantes da Prefeitura, o setor está voltando a ser normalizado, mas ainda há uma preocupação dos membros da Comissão para que o Executivo olhe com mais atenção para este departamento, disponibilizando mais recursos, efetuando a compra de mais veículos e máquinas”, comenta.

Já na sexta-feira, 27 de outubro, ocorreu uma reunião da Comissão de Obras e Serviços Públicos, cujo assunto foi a reconstrução da Marginal. Participaram os Vereadores Etelvino Nogueira, Rafael Tanzi e Julio Mariano, o Diretor de Planejamento e Meio Ambiente da Prefeitura, Engenheiro Claudinei Rosa, o representante do Departamento de Planejamento e Meio Ambiente da Prefeitura, Engenheiro Fredi W. Correia Vieira e o responsável da empresa DRR Construções e Comércio Ltda, Engenheiro Luiz Paulo. “Ao todo, foram respondidas 14 perguntas, visando sanar as dúvidas da Comissão de Obras e Serviços que tem acompanhado desde o início as obras da Av. Marginal. A Câmara tem a principal função de fiscalizar o Executivo e estamos cumprindo o nosso papel”, afirma o Presidente da Comissão de Obras e Serviços Públicos.

O Vereador Rafael Tanzi explica que vem solicitando junto à Prefeitura, diversas informações sobre a qualidade da pavimentação asfáltica e embora os representantes da empresa e da Prefeitura responderam as questões, não se descartou a possibilidade da elaboração de um laudo técnico que ateste a qualidade da obra. “O assunto vem sendo discutido na Câmara Municipal junto a outros Vereadores, pois a cobrança da população é grande quanto a qualidade dos serviços. Porém, de acordo com o regimento interno, para que haja a contratação de uma empresa que emita esse laudo, será necessária a abertura de uma CAR – Comissão de Assuntos Relevantes e também o Presidente da Casa de Leis precisará liberar os recursos financeiros para pagamento da emissão do laudo”, comenta.

O Vereador Julio Mariano questionou a Prefeitura sobre o encolhimento da calçada em torno da quadra municipal, facilitando assim a curva da Av. Brasil e perguntou também a respeito do posicionamento dos postes. Quanto às dúvidas do parlamentar, Claudinei Rosa respondeu que fizeram uma correção do alinhamento da referida curva para fazerem a conversão à direita, que esse “cotovelo” era muito acentuado e dificultava a convergência dos veículos, que como o terreno da quadra é da Prefeitura, a correção foi feita para dentro, portanto, a acessibilidade e a calçada vai ficar com o mesmo padrão e a mesma largura existente.